50 são presos em meio a onda de ataques no Rio Grande do Norte

Compartilhe esse artigo! Facebook +Google Twitter Pinterest


O Estado do Rio Grande do Norte registra desde sexta-feira uma onda de ataques contra prédios e transporte público – houve ocorrências inclusive no acesso ao Aeroporto Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, e na Delegacia Geral de Polícia (Degepol) de Natal. De acordo com balanço divulgado neste domingo pela secretaria estadual de Segurança Pública, cinquenta pessoas foram detidas em todo Estado por relação com os atos de vandalismo.

Desde sexta-feira foram registrados ao menos 42 ofensivas a ônibus, além de ocorrências envolvendo disparos contra prédios públicos, explosivos em agências bancárias e depredações.

De acordo com o governo, os atos são uma retaliação de criminosos contra a instalação de bloqueadores de celulares no presídio de Parnamirim. Em entrevista coletiva no sábado, o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, afirmou que o efetivo policial está mobilizado para coibir novos atos de vandalismo. Faria também afirmou que ainda não é necessário solicitar ao Ministério da Justiça envio de tropas da Força Nacional ao estado. “O governo está decidido a enfrentar qualquer ato violento que acontecer no estado. Não vamos recuar na instalação dos bloqueadores celulares nos presídios e não há possibilidade de negociação com líderes de movimentos criminosos. Os policiais estão liberados a agir com autonomia e conforme a lei para prender todos os responsáveis por essas ações de vandalismo”, disse o governador.

No sábado, pelo menos quinze criminosos atearam fogo a entulhos e fecharam o acesso ao Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, na Grande Natal. O incêndio foi controlado pelo Corpo de Bombeiros, mas os criminosos fugiram. Também na capital, foram apreendidos 30 coquetéis molotov e três galões de combustível em uma casa abandonada.

Em Parnamirim, três pessoas foram detidas com posse de dois galões com nove litros de combustível, um revólver calibre 38 com sete munições, celulares com informações sobre ataques a ônibus, duas placas de colete balístico e entorpecentes. Em Patu, outros três foram presos com um reservatório de gasolina.

Como reação aos ataques, os rodoviários e as empresas proprietárias de ônibus suspenderam os serviços no último sábado e mantêm a posição também neste domingo. Ao jornal Tribuna do Norte, o diretor do Sindicado dos Rodoviários, Harley Davidson, disse que a orientação é que os ônibus não saiam das garagens “até que o Governo tome uma atitude drástica com relação à segurança”.

Ataques já foram confirmados nas cidades de Natal, Parnamirim, Macaíba, São José de Mipibú, Caicó, Currais Novos, Caiçara do Norte, Santa Cruz, Mossoró, João Camara, Jardim de Piranhas e Assú.



Compartilhe esse artigo! Facebook +Google Twitter Pinterest

Nenhum comentário: