Governo do Estado forma especialistas de Emergências em Saúde Pública

Compartilhe esse artigo! Facebook +Google Twitter Pinterest


A partir desta quinta-feira (20) as unidades básicas de saúde da capital contam com profissionais aptos a prestar assistência rápida e efetiva às comunidades atingidas por catástrofes, situações de desassistência, desastres naturais, situações epidemiológicas com gravidade e eventos de massa. O processo de capacitação destes profissionais ocorreu por meio do curso de Especialização em Gestão de Emergências em Saúde Pública, ministrado pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês, em parceria com o Ministério da Saúde e os governos estadual e municipal.

A cerimônia de encerramento do curso aconteceu na manhã desta quinta (20), na Escola Técnica do SUS (ETE SUS), e contou com a presença do secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, e o secretário municipal de Governo, Lula Fylho. Na oportunidade, o secretário Carlos Lula enfatizou a importância de não abandonar a sala de aula na busca constante de aperfeiçoamento e renovação dos conhecimentos. “Um curso como este é de grande valia para quem trabalha no dia a dia das emergências de nossos hospitais. Estar aqui dentro de uma sala aula demonstra o interesse do profissional em cuidar com qualidade e eficiência da saúde da população ludovicense”, considera o secretário, que ainda anunciou o aumento de recursos para dar andamento aos projetos educativos em saúde.

Fernanda Nakamoto, facilitadora do curso de Especialização em Gestão de Emergências em Saúde Pública, destaca a mudança de visão técnica e assistencial que o profissional adquire após a conclusão do curso. “Buscamos ampliar os conceitos que os profissionais possuem nas situações de emergência. No caso de São Luís, trabalhamos com casos de queimadas e incêndios, que são mais frequentes na região e o atendimento de quem passou por uma situação natural de desastre como esta precisa de uma ajuda mais direcionada do profissional de saúde”, explicou Fernanda.

Durante nove meses, 20 profissionais receberam informações técnicas sobre o universo dos atendimentos em casos de extrema desassistência e a forma de lidar com o paciente que passou por ela. O médico do Hospital Clementino Moura (Socorrão II), Gustavo Teixeral, reconhece a deficiência que muitos apresentam durante atendimentos em casos de desastres e avalia a realização do curso como um ganho a mais no aprimoramento diário do exercício de sua profissão. “Nós, profissionais da Medicina, tínhamos vontade de melhorar a condução dos pacientes nestas situações e não víamos as melhores formas de atendê-los, agora me sinto seguro e apto para encarar protocolos deste tipo”, afirmou.

A fisioterapeuta do Hospital Socorrão II, Manuela Dias, reconhece que a sistematização dos procedimentos diários é fundamental para orientar o profissional a melhor maneira de conduzir o paciente. “Enquanto técnicos da saúde, precisamos estar preparados para uma intensa demanda de emergência em saúde pública, pois estamos na ponta da rede de atendimentos”, afirmou a fisioterapeuta.

Sobre o curso

O campo de atuação do curso envolve a identificação, a construção e a avaliação de planos de ação para as necessidades de saúde nas situações de emergência em saúde pública. O processo de capacitação ocorre de modo orientado a um perfil de competência, que é referência para a construção, o desenvolvimento e a avaliação do desempenho dos participantes.

Este perfil expressa a articulação dos três domínios: conhecimentos, habilidades e atitudes e valoriza a excelência técnica e a humanização nas relações, destacando o cuidado centrado nas necessidades das pessoas, o trabalho em equipe, a responsabilidade pela integralidade do cuidado e a agregação de valor à saúde.
Compartilhe esse artigo! Facebook +Google Twitter Pinterest

Nenhum comentário: